sexta-feira, 29 de agosto de 2014

QUANDO TE OLHO




Quando te olho 


Sei-nos diferentes
Os laços que nos unem 
São perfeitos, 
Mas só em nós existem
E em nós persistem
Não se fabricam nos corações de quem ama
Um querer como o nosso
Sentimento incomum que nos une e acorrenta
Mais duro que o ferro que o diamante puro
Este viver assim, solto. livre
É uno e só nosso
Amar neste estar e ser contente e belo
Viver lado a lado e num abraço ter a lua a olhar-nos
O sol a sorrir- nos
O amor a brotar de nós 
Como chuva do céu depois de longa seca 
É sublime, oferta da natureza
Estamos carentes de tudo o que resta
E depois?
Que importa o que hoje nos falta
Se o importante é o que agora passa ...?

Inês Maomé