segunda-feira, 13 de outubro de 2014

APRENDI...




Aprendi...


Aprendi, 
com o tempo,
por vezes amargamente 
que as palavras brandidas 
sem ter o interlocutor ao alcance
de um olhar saem equívocas
na forma como chegam ao destinatário...
...que tem o mesmo problema
de não ter o meu olhar ao seu alcance.

Aprendi a calar alguns desabafos, 
a medir as minhas palavras, 
a fazer com que os gestos de afecto
fossem substituindo a verbalização dos mesmos, 
mas sobretudo a calar alguma da vontade 
de replicar para evitar os equívocos naturais
de não me lerem a emoção e a ênfase
colocada na sua emissão acompanhadas 
pelo olhar de ternura e de carinho
com que elas me saíam...

Assim passei a falar-te de afecto com os meus abraços, 
as carícias das minhas mãos e a doçura dos beijos
com que respondo aos teus...na exacta medida e dimensão 
daqueles gestos que em nós fizeram a magia
de nos silenciar as palavras e aquecer os gestos...

Hamilton Ramos Afonso