segunda-feira, 13 de outubro de 2014

PERDÃO


Imagem - net (autor desconhecido)

PERDÃO


Não segurei suas mãos
estendidas em aflição
tal dor em comoção
não dei atenção!

Perdi a razão,
a emoção se findou
como um iceberg
congelou.
Esqueci as orações
que em noites agitadas
acalmava seu coração!

Segui a razão, mas é meu
sangue meu irmão...
Acomodei a brasa em 
chamas da resignação
mesmo queimando
minhas mãos.

Perdoe-me, sou um simples
mortal, que te ama, além
do mal, mesmo as vezes
sendo o próprio sal esparramado 
em vendavais da incompreensão,
deveria beijar tua face, ver-te feliz
sorrindo, sem graça, secar tuas 
lágrimas...

Sem propósito ferimos, mesmo 
sentido-te arredio, por tão poucos
motivos que levam a desunião.
Sentimento egoísta, que esvazia 
o coração, mas entenda e permita
o perdão.
Sentimento doce, que abranda o
coração.

Rosely Andreassa