sexta-feira, 2 de outubro de 2015

GAIVOTA


Imagem - Google


Gaivota



Admiro o esbelto bailado do teu voo,
em total liberdade, 
a forma grácil com que desces célere 
até ao rebentar da onda em espuma
para te alimentares...

Dou comigo a pensar
nas alturas em que a saudade
se faz mais presente
em te invejar a capacidade de voar,
e aporta-me a vontade de te entregar
o meu pensamento,
para que o leves para junto 
daquela a quem entreguei o meu coração,
numa asa a saudade, na outra o afecto…

Talvez assim o tempo que nos separa
do abraço que tarda, 
se encurte
e a fusão dos corpos perfumados se dê, 
porque as almas,
essas já se pertencem… 


Hamilton Ramos Afonso
In, Amores em terra de bruma e de lava