terça-feira, 22 de dezembro de 2015

SIMBIOSE


Arte: Igor Zenin


SIMBIOSE

 
Conhecemo-nos numa altura
em que ambos sofriamos
o embate das tempestades que a vida proporciona
a quem tem a alma sensível como nós, 
tempestades que nos fazem abanar, 
vergar, mas sem torcermos…

Pediste a minha ajuda; solicitei a tua 
e com afecto e carinho ambos fomos capazes de dar a volta,
funcionando eu como haste que se agarra, firmemente à terra, 
e enlenado-se ao caule da frágil planta
a ajuda a crescer direita…

Na minha firmeza encontraste forças para cresceres,
com confiança, brotando de ti o perfume próprio 
das mais belas rosas e o viço e a cor de pétalas bem orvalhadas, 
pela seiva do afecto.

Esse teu perfume e viço serviu-me para manter o rumo
e a firmeza que te serviu de amparo em completa e útil simbiose, 
como os líquenes que sobrevivem
e protegem as cascas das árvores onde vivem.