segunda-feira, 29 de outubro de 2018

A MINHA MULHER AMADA


Pintura: José Malhoa


 A MINHA MULHER AMADA


Parti para longe, para terras estranhas.
Vi terras bonitas, cidades tamanhas...
Que nem nos bons sonhos assim as sonhei,
Mas ao contrário do que ansiava não encontrei,

Mulher de que eu gostasse,
Que eu tanto amasse!
Que pena, que o tempo passasse,
A idade a correr sem que te encontrasse!

Por que é que me quiseram dar um lago
Se eu gosto mais do mar e seus rochedos?
O lago não existe, transforma-se em luar vago!

É que já há muito vi no mar a minha sereia guardada.
E este forte abraço de amor com beijos e segredos
Já podia ter acontecido antes, minha mulher amada!

© Alfredo Costa Pereira

domingo, 28 de outubro de 2018

LUGAR ENCANTADO!




LUGAR ENCANTADO!


Estar contigo é um privilégio...
Quando estás aqui o tempo
corre depressa e outras vezes pára...
Sempre que me dizes adeus
fica um vazio dentro de mim...
Deixas no ar o teu perfume
E, assim fico com um pouco de ti!
Fica a saudade, o silêncio, 
ficam palavras por dizer e forças adiadas...
Sempre que te vejo, nasce uma esperança,
há uma luz que se acende e
que me aquece por inteiro
e dá cor às formas que giram em meu redor
e fazem parte do meu viver...
Sempre que sorris, 
nasce uma flor dentro de mim...
Sinto uma alegria imensa e 
uma grande vontade 
de ficar presa nos teus braços...
Contigo vem a magia, a paixão,
o riso despreocupado sem nexo!
Estar contigo é como estar 
num lugar encantado,
onde me sinto feliz e alegre
como criança e amada como mulher!

© Bernardina Pinto
 Sorrisos da minha Poesia

ERAM OS TEUS OLHOS, NADA MAIS...


Imagem: Anyes Galleani, Open ArtGroup @


 ERAM OS TEUS OLHOS, NADA MAIS...


Eram os teus olhos, nada mais... Amei-te… amaste-me, amámos-nos simplesmente pelo fértil imaginário dos nossos olhos e nada mais.

Bebes-te o meu sal, na avidez d’ um rio, percorreste o mar da minha alma, como se ele fosse a única corrente fecunda do Oceano. Cruzámos-nos nos salgados e doces olhares e amámos-nos com toda a ondulação da maré alta. Fomos o desejo, o saciar… o céu das águas vibraram em tonalidades de azuis e verdes, as cores dos nossos pensamentos. Foi um momento único que os olhares castanhos se beijaram no azul e verde de dois corações apaixonados. Chamaste-me Linda, querida, sereia, a mulher mais bela do Oceano, apenas um momento de intenso ardor que flamejou a chama do amor. Eram os teus olhos, nada mais, tudo não passou d’ uma ilusão óptica, o que sentimos foi o reflexo do olhar que se deslumbrou pelo sonho, pelo desejo de amar um ser perfeito, pela avidez do instinto compulsivo. Os nossos olhos castanhos comungaram nas ondas do horizonte em aromas agridoces na mais perfeita harmonia. As nossas íris alargaram-se à volúpia do pensamento e o nosso olhar percorreu a beleza e sensualidade do Universo. Amei-te… amaste-me, amámos-nos simplesmente pelo fértil imaginário dos nossos olhos e nada mais.

ÀS CINCO DA MANHÃ


Imagem: Nature, Love and Art


ÀS CINCO DA MANHÃ


Às cinco da manhã faço-te versos
no cais do meu olhar, ressalta espuma
às cinco da manhã, envolto em bruma
vens acender meus sonhos mais dispersos...

às cinco da manhã, trazes-me o mundo
perdido no etéreo em que acredito
e às cinco da manhã me precipito
no amor, no teu amor, onde me afundo...

às cinco da manhã, noite meada
quando a aurora rompe a madrugada
que principia, preguiçosa a ir embora

às cinco, a manhã parece alada!
Em ti, somente em ti, durmo enroscada
no sépia do meu sonho, como agora!

© Maria Mamede

O MAR NOS DISTANCIA




O Mar Nos Distancia


Nesta distância que me separa de ti
existem águas salgadas, os oceanos.
esmorecendo a chama, que por ti senti
e esqueço os abraços quentes dados nos anos.

No teu constante viajar, já viciado
Exprimo-te o meu amor em queixumes chorados.
Quero ter-te mais presente, sempre a meu lado.
E no vazio da noite penso em pecados.

Gosto de te tocar e do teu respirar
na minha boca e calor de lábios em beijos. 
Triste fica a minha alma... Pois não podes dar!

Chegas de repente e tão-somente por dias 
procuro eternizar os momentos no peito
Resta de ti a negra solidão que é fria…

© Maria Lúcia Saraiva

domingo, 21 de outubro de 2018

VERDADES ESQUECIDAS...


Imagem: Bellissime Immagini


Verdades esquecidas…


Quando a saudade acontece
E nos aparece tão silenciosa
É na hora o que transparece
E isso jamais se esquece
Nessa vida tão airosa

Se tu tens em ti a saudade
Que vem assim tão sonolenta
Vagarosa é a verdade
Colhida com toda a saudade
E que em ti tudo nos tenta

Não te quero ver chorar
Pela saudade que tens em ti
Antes queiras me amar
Por de mim muito gostar
Nesse amor que em ti vivi

Vive em ti essa saudade
Tão triste e tão vazia
É um tormento de verdade
Mas a vida tem qualidade
Onde me tira toda a alegria

Vejo tuas lágrimas derramar
Em cruéis ausências adormecidas
Quando é que me vais amar
Por de mim muito gostar
E me dar palavras bem sentidas

© Armindo Loureiro