domingo, 24 de junho de 2018

PENSAMENTOS




PENSAMENTOS


Fervilha-me o sangue rumo ao pensamento,
Que lesto m’ indica o ocaso ou levante,
De algum horizonte, sonhado distante,
Ou crença voando nas asas do vento…

Ocorrem-me à mente como num flagrante,
Ideias aos montes a cada momento,
Que mastigo e engulo feitas sentimento,
Ou faço o silêncio da razão errante…

Os sons, as palavras, que nunca são ditas,
Não por serem feias ou serem bonitas,
Calam-se bem fundo no peito da gente!

São só pensamentos que chegam e vão!
Fantasmas da vida vestindo ilusão,
Onde o tempo mora num olhar silente!...

J. M. Cabrita Neves

VIAJAR A LER...




Viajar a ler...


Sou uma eterna viajante
quando tenho um livro para ler
sou gigante, modelo e amante,
posso ser o que quiser e tudo fazer.

Adoro o cheiro dos livros e entrar
nas suas histórias e aventuras estar
e viver suas personagens e pensar
que posso mudar o mundo a sonhar.

Ler um livro é um grande prazer
e apaixono-me pela palavras descritas
e locais lindos que procuro descrever
com imaginação e emoções transmitidas.

Bernardina Pinto

PORQUE...



PORQUE...


Porque choram os meus olhos se o sol brilha
porque me rendo ao som do eco do vento
porque se fundem minhas lágrimas com a chuva
porque no peito só há dor e sofrimento
porque é pesada a noite, é tormento
porque é puxada a saudade pelos fios da memória
porque sinto um frio extremo no sentimento
porque me fere a alma o barulho na madrugada
porque teimam estas lágrimas em salgar-me a boca 
porque no sufoco da espera
eu não sei se os meus pés aguentarão a jornada
porque desconheço, onde me levará
esta longa estrada!

Lurdes Rebelo

sábado, 23 de junho de 2018

FUNDURA DA ALMA




Fundura da Alma


Às vezes em mim há dor e vazios
não é solidão nem falta de amor
esse estar chega sempre nos Estios
vem a brisa e traz fragrâncias de flor.

Se tenho abraços para me aquecer 
se surge a luz do sol com vida e cor 
quero ser natural e preencher
os vazios de alegria e sabor.

Sentir no peito vazios é mau
nascem partículas de mar num rio
solto gritos, soluços para o vau.

Viver numa angustia é maldade 
são laços deslassados sem verdade
Revoltadas são as águas do meu rio…

Maria Lúcia Saraiva

VERDADES A COLHER...


Arte: Oscar-Claude Monet


Verdades a colher…


Gosto da tua sinceridade
Gosto de quem é transparente
Em ti vi essa verdade
Que me deixou bem contente

Sou crédulo por natureza
Acredito em toda a gente
Mas contudo fica a certeza
Da maldade de quem mente

Há uma certa fragilidade
Nas pessoas que são sérias
É na verdade uma bela qualidade
Que transborda de certas matérias

Gosto pois da tua doçura
Quando me desnudas a alma
Vejo em ti essa alvura
E assim não perco a calma

Não perco nem poderia
Porque gosto de gente assim
Tu me dás sempre a alegria
Que eu gosto de ver em mim

As lâgrimas não gosto de ver
Em teu rosto maravilhoso
Antes um sorriso de prazer
Que me deixe mais airoso

Não gosto de gente mascarada
Gosto de ver tudo como se é
Só assim poderás ser amada
E colher de mim a minha fé

Jamais falseies a verdade
Diz sempre o que tens a dizer
Sê esse ser com qualidade
Que de si dá sempre o saber

Numa humildade sem humilhação
Mostra a diferença do teu viver
Talvez um dia essa tua paixão
Venha a nos outros verdade colher

Armindo Loureiro 

domingo, 10 de junho de 2018

O QUE É UM POETA




O QUE É UM POETA 


O que é um poeta
Já ouvi as maiores barbaridades 
Que é um sonhador pateta
Ou um ser que se alimenta das saudades 

Mas o que será um poeta realmente 
Um louco que vive de emoções 
Um declamador de voz eloquente 
Ou um ser que se alimenta dos corações 

Em que dicionário está a palavra poeta escrita
Procurei em todas as bibliotecas do Mundo 
Perguntei a todos ao Rei ao Papa e ao Eremita 
Caminhei pelas montanhas e pelo vale mais profundo 

Mas a palavra poeta continuava um mistério 
Seria que veio do espaço, será um extraterrestre 
Porque alguém que escreve assim é um caso sério 
Impossível neste mundo existir assim um mestre

Estava muito cansado desta inglória procura 
Sentei-me num banco do jardim e acabei por adormecer 
Sonhei que estava sozinho numa rua escura 
Iluminado apenas por uma vela conseguindo poemas escrever 

Paulo Gomes

NOITE DE PRIMAVERA


Aguarela de Joseph Mallord William Turner


NOITE DE PRIMAVERA


A noite é calma;
Fontes, água incolor;
Não há vivalma,
Só beijos de amor!
Com doce olhar,
Zínias e rosas
Afagam o luar.
Flores mimosas:
Abram vosso seio
Num devaneio,
Que as mariposas
Querem sonhar!
O firmamento
Antes da aurora,
Está lindo agora,
E a brisa chora
De contentamento!


Alfredo Costa Pereira

quinta-feira, 7 de junho de 2018

LAÇOS SÃO ASSIM...


Imagem - Felicità


Laços são assim…


Há laços de amizade
Há laços de enfeitar
Uns me dão saudade
Outros os quero amar

Há laços de enlaçar
O corpo duma mulher
Quando se sabe amar
É um laço que se quer

Quero-te enlaçar agora
Quero-te fazer um laço
Anda lá, está na hora
Vê lá o que eu te faço

Fazer um laço com amor
Num laço que seja assim
Apertado com muito calor
Dá-me um laço pois a mim

terça-feira, 5 de junho de 2018

... PARA LÁ DAS JANELAS...


Imagem - Belissime Immagini


... PARA LÁ DAS JANELAS...


Leva-me para lá das estrelas
Ente o céu de um desejo teu,
Num coração de abraço meu
E vive-me para lá das janelas...

Num eterno beijar 
Troca-me os lábios serenos
Pelo teu salgado amar
E assim seremos plenos...

Num turbilhão instantâneo
Ama-me assim, mais que nunca,
Ente o céu e um desígnio momentâneo
Seremos a fonte que se junca.

Leva-me para lá das estrelas
 Ente o céu de uma outra utopia, 
Escreve-me pela pele a tua poesia
E vive-me para lá das janelas...

© Ró Mar