quarta-feira, 20 de setembro de 2017

VOU




VOU


Vou 
À rua olho o céu 
vejo as estrelas a piscar 
ah !como eu queria subir ai
tocar em cada uma de vocês
e fazer magia 

________ E depois ________

iria mais além na essência 
do universo e deixava-me ir 
libertar o mundo 
das maldades humanas
que tanta gente faz...

Mila Lopes

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

SERÁ QUE SOU POETA...


Imagem - REMEMBER


Será que sou poeta…


Não sou poeta
Nem tão pouco o quero ser
Nada percebo dessa treta
Mas no que escrevo sinto prazer!

E tu que gostas de poesia
Diz-me lá qual é o teu pensamento
Será que a escreves com alegria
A todo e qualquer momento?

Sinto algo no meu interior
Que me diz para dela gostar
Na verdade eu lhe dou amor
E nela me vou espraiar…

Respiro-me à minha maneira
Encho-me de brios por ela
Será que o faço na brincadeira
Ou por ser a coisa mais bela?

Sintonizo-me com o poema
Declamo-o como deve ser
Depende sempre do tema
Para nele colher prazer

E tu, também és assim
Ou deixas a escrita correr
Se és igual a mim
Na escrita vê-se o teu saber

São palavras e mais palavras
Que escorrem da minha caneta
Algumas estavam em mim atadas
Outras não passam de grande treta

Mas vou continuar a escrever
Podes tu disso ter a certeza
Mesmo que não tenha quem me queira ler
Vou fazê-lo porque está na minha natureza

Armindo Loureiro 

GOSTO DE ESCREVER




GOSTO DE ESCREVER


Como gosto de escrever
Hoje quero falar com a escrita
Se não me souber responder
Sou eu quem lhe explica,

Vamos falar de poesia
É o que chamo aos meus versos
Escrever dá prazer e nos alivia
E os temas são os mais diversos

Escrever só para quem gosta
Sem sacrifício nem aposta,
Vamos todos ler e escrever

A poesia se faz presente
Na alma e no coração da gente
Escrever, é meu grande prazer!

Joana Rodrigues 

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

NO SILÊNCIO DOS MEUS DIAS HÁ UMA MÍSTICA FLOR


Imagem - Bellissime Immagini


NO SILÊNCIO DOS MEUS DIAS
HÁ UMA MÍSTICA FLOR


No silêncio dos meus dias há uma mística flor, 
Ao acaso, que preenche um vazio que arrasa.
Prendem-se pela alma as paredes brancas da casa
Incompreensível e então respiro o olhar do criador.

Quero, amar e de coração, embora ele não ande 
Ao ritmo dos dias de hoje, arrumar pelas ultimas prateleiras 
O passado e na primeira o presente. A vontade é grande
Em ver o arrumo e assim viver da melhor das maneiras.

Ah, o presente dos meus dias, nem quero pensar
No que tenho a arrumar e invento o futuro que me guia
Tão esguia quanto fermosa pela janela de uma poesia!
Quero viver o dia sentindo que sou e a amar.

No silêncio dos meus dias há um encontro feliz,
Avivando a alma e empilhando pelo coração outras emoções,
Que extravaza sentimentos fertilizando a raíz
Apodrecida pelo antro de incompreensões.

Ah, o futuro não é para ser pensado,
Nem quero pensar nele, mas imaginá-lo com fervor!
Estarei febril ou o presente ter-me-á dado outro mundo!?
No silêncio dos meus dias há uma mística flor. 

© Ró Mar

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

PODER VOAR




PODER VOAR


Quero muito hoje sonhar
Mesmo que seja acordado
Quero-me sentir a voar
Montando um cavalo alado

Quero poder sobrevoar 
As mais belas cidades 
Rasando as ondas do mar
Fazendo novas amizades

Quero poder voar até á Lua
Visitar todas as estrelas
Regressar para a minha rua
Trazendo as mais belas

Não quero deixar de sonhar
Porque nos sonhos sou Feliz
Não quero ter de acordar
Poder voar foi o que sempre quis

Paulo Gomes

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

GRITO BEM ALTO O AMOR...


Imagem -Bellissime Immagini


Grito bem alto o amor...


Tenho vontade de gritar
De dizer aos quatro mundos
Como é que não se pode amar
Quando só de ti eu sei gostar
Em momentos tão profundos

Esvazio o coração
Com esse belo pensamento
É a ternura, é a paixão
Que me cria esta ilusão
Que eu sinto a todo o tempo

Caminho sem rumo certo
Na procura desse amor
E se o vejo aqui ao perto
Por ele fico desperto
Sinto em mim o seu calor

Não me importa onde vai chegar
Nem sei se será de noite ou de dia
Apenas sei que te quero amar
És esse Sol do meu raiar
E a ti me quero dar com alegria

Tu és esse meu raiar
És o Sol que entra em mim
Deixa-me pois te vir a amar
Só de ti eu quero gostar
Pois de ti eu estou afim!

Armindo Loureiro

TROVAS DO MEU VERÃO




TROVAS DO MEU VERÃO


“Apesar de tudo, é hora de cantar”


As minhas trovas de verão
São trovas de amor ardente,
Cantadas à boa a gente
Que tenho no coração. 

Quero que sejam canção 
Neste claro sol-nascer 
E, no sol-posto, irei ver
As minhas trovas de verão. 

Trouxe comigo pendente
A minha viola saudade
E, cantadas por vaidade, 
São trovas de amor ardente.

Quem canta é porque sente
Dentro da alma o calor
São trovas de grão primor, 
Cantadas a toda a gente. 

Cantarei co´ a emoção
Que jorra dos meus sentidos
Ao ritmo de versos vividos
Que moram no coração.

Sou um navio atracado
Que espera por ti no cais,
Receando que não voltes mais
Eu te canto apaixonado. 

Com remos da alma de mim,
Quer me exulte ou condoa, 
Partirei numa canoa
Em noite de luar sem fim.

Um trovador que se preza
Ao ver sua musa perdida
Neste mar revolto da vida
Sua alma deixará presa.

Tenho uma sede danada
De água corrente e clara
Minha pena trovas dispara
Desde a alta madrugada.

Sou trovador e estou pronto
Em cada hora a trovar
E pra que possas jubilar
Aqui me achas de apronto. 

Se outros amigos houver
Que queiram participar,
Diz-lhes, musa, que há lugar 
E não há mais tempo a perder. 

E neste mar de sequidão
Com tal ardor que me enlaça
Direi à sombra que passa
Como á belo este Verão!

Frassino Machado
In TROVAS DO QUOTIDIANO

ESCUTA, POUCA COISA, O VENTO E O AMOR TAMBÉM


Imagem - SAi$ONS


ESCUTA, POUCA COISA, O VENTO E O AMOR TAMBÉM


Escuta, se escutares com atenção
Encontrarás a própria razão do coração;
Não quedes nas palavras, umas ocas,
Frases loucas, umas letras tão moucas.

Escuta, se és o que és, se a vida te fez ser assim,
Foi porque tua alma estava mesmo afim;
Não te quedes, jamais, sente a presença
Ente universo que moverá esperança.

Escuta, se o tempo tem tempo vive-o
Sempre ao teu ritmo, porém, escuta-o;
Aprende o que ele te tem a segredar
Ainda que isso te dê muito que pensar.

Escuta, se és o que és o serás sempre, porém,
Se cultivares de mão-cheia as entrelinhas 
Que lampejam a vida, avistarás o que ainda sonhas;
Escuta, pouca coisa, o vento e o amor também.

Ró Mar

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

ALEGRIA


Arte: Ashvin Harrison 


Alegria


Aproveita a alvorada, 
com os seus raios de sol a despertar e a chamar-te para a vida
e baila ao som da harmonia do céu, 
imaculadamente azul, sem a mancha do branco das nuvens...

Dança na orla da praia,
na areia molhada 
e eleva-te à lua, 
que vem iluminar-te, nos requebros da dança da vida, 
quando vens e páras em frente dos meus olhos
para que te possa ver...

À PORTA DO POEMA




À PORTA DO POEMA


“Ao poeta Henrique Guimarães”


Bati à porta do poema,
Bati à porta da poesia,
Entro nela sem dilema
Por entre ondas de magia.

Tocaram à porta de mim
Sem nenhum estratagema
Com uma argúcia sem fim
Bati à porta do poema.

Não me ajeito em aventura
Muito menos em fantasia
Neste horizonte de conjuntura
Bati à porta da poesia.

A minha intuição de poeta
Dá-lhe vida em qualquer tema
Com esta estratégia discreta
Entro nela sem dilema.

Poetando o poeta se entende
Quando respira harmonia
Todo o Parnaso se estende
Por entre ondas de magia.

É assim a minha lira
Feita de versos ordeiros
Qualquer emoção m´ inspira
Para aliviar nevoeiros.

Entre dois sorvos de bica
Fiz este poema habitual,
Amigo, para ti aqui fica
A minha amizade leal.

Frassino Machado
In AO CORRER DA PENA