sexta-feira, 29 de abril de 2016

UNO CORAÇÃO A NASCER




UNO CORAÇÃO A NASCER


Meu botão, flor, mulher,
Rosa, meu coração
Perfumado a teu ser…
Meu verso de paixão.

Meu céu, amor, celeste,
Azul, meu tão paraíso,
Respirado em tua veste…
Minha alma de narciso.

Meu beijo, abraço teu,
Outro tom, sonho meu,
Amado ao amanhecer…
Uno coração a nascer.

© RÓ MAR


quinta-feira, 28 de abril de 2016

PARA TI, CARA BONITA...


Imagem - Bellissime Immagini 


Para ti, cara bonita…


Há por aí tanta cara bonita
Que me faz despertar o olhar
Eu sei que muita gente não acredita
Mas não é essa que eu quero amar
Gente bonita é uma certeza
E às vezes nem é exterior
De dentro sai essa beleza
Que a nós nos dá amor
Olho-te, pois, de frente
Procuro ver o teu olhar
E nele é que alguém sente
Se é límpido para se amar
Limpidez que se almeja
Num breve relancear
Tua boca assim se beija
És alguém a degustar
Gosto de assim brincar
Porque gosto de mulheres
A todas as quero amar
E tu… Que é que queres?
Deixa-me ser quem sou
Diz que gostas da brincadeira
Deste alguém que vos amou
Que vos procura com canseira!

Armindo Loureiro


quarta-feira, 27 de abril de 2016

A CALÇADA DA VIDA




A calçada da vida

 
A vida, 
esta vida, 
a nossa vida,
é como a calçada das ruas,
onde se ouvem,
indelevelmente,
o som dos passos que demos
em direcção um ao outro, 
tímidos no inicio,
titubeantes diria,
mais confiantes logo a seguir
para se ouvirem apressados
quando as nossas almas se entenderam.

Agora
na calçada 
já não se ouvem 
os ruídos dos teus botins,
ficando apenas a memória
do som dos mesmos
quando te ausentaste de mim,
até se reduzirem
ao ruidoso e profundo silêncio...

Em mim,
ficaram porém
boas memórias.

O perfume da tua pele na minha,
quando celebrávamos o nosso amor, 
em longas sinfonias de paixão.

As marcas que deixaste no meu corpo, 
quando o burilaste e facetaste
com o diamante da loucura do teu corpo
entregue sem baias,
sem tabus,
intensamente ao trabalho de sulcar-me 
e deixar-me exausto
mas pleno de prazer.

E o melhor de tudo,
deixaste a tua alma
abraçada à minha
para todo o sempre...
 

QUERO AMAR ASSIM, TÃO-SOMENTE


Imagem - Bellissime Immagini 
 


QUERO AMAR ASSIM, TÃO-SOMENTE


Quero amar assim, tão-somente,
Nos teus braços assim, tão-somente,
Pega-me ao colo e leva-me a ver as estrelas
Pelo jardim que há-de florir, tão-somente.

Pelas nossas bocas ao vento nascerão assopradelas
De belas cores, flores de leves aguarelas,
Que desenham assim, tão-somente,
A primavera assim, tão-somente.

Quero amar assim, tão-somente,
Nos teus braços assim, tão-somente,
Florir no brilho dos teus olhos, jardim
Do nosso firmamento, quero amar assim.

© RÓ MAR


domingo, 24 de abril de 2016

QUERO-TE AQUI!





QUERO-TE AQUI!


quero-te aqui!
na ponta da minha língua
na palma da minha boca
onde sempre sais sentida
com a alma que é minha
(...)

quero-te aqui!
quieta e sossegada
pronta para arrancar
a crosta sarada da ferida
que é emoção vivida
(...)

quero-te aqui!
onde te ponha a vista em cima
onde te corrija e até lime
sempre que escorreges na vírgula
de um silencioso ponto final
(...)

quero-te aqui!
bem debaixo do meu nariz
para que não me escapes por um triz
e de mim não sejas meretriz
que me tenhas lema emoldurada 

contendo todo o meu cariz
(.)

Ana Carvalhosa


ESTA NOITE VOEI




ESTA NOITE VOEI


Esta noite voei
Entre as nuvens de algodão 
Como se fosse um Rei
De uma longínqua Nação 

Voava, voava sem parar
Como se fosse uma águia real
Querendo com as minhas asas tocar
O ponto mais alto de Portugal

Num sentimento único de liberdade
O meu corpo planava suavemente 
Como se tivesse perdido a sanidade 
Ficando totalmente louco de repente

Mas não era loucura, nem magia 
Não estava a sonhar acordado 
Era apenas mais uma bela poesia
Escrita por mim quando inspirado 

Paulo Gomes


SEJA FELIZ HOJE E AMANHÃ...




Seja feliz hoje e amanhã...


Hora de virar a página, colorir a vida com as cores do arco íris. Então faz assim, usa tintas coloridas, bem coloridas e pinta uma nova paisagem na tua vida. Seus sonhos precisam ser mais reais do que seus medos. Colore um quadro qualquer, sem pressa.
Resgata o brilho do olhar e deixa que transborde tudo
de mais lindo que você traz dentro de si, a vida é bela e você pode ser mais feliz que hoje, inventa dança seja na música na poesia... O mais importante é você, seja feliz hoje e amanhã...

Madalena Lessa


A GAIVOTA E O MAR




A GAIVOTA E O MAR


Hoje voei
E sobrevoei o mar
Encontrei uma gaivota
Que não sabia cantar,
E tal como eu,
Começamos a trautear
Sobre a costa e o mar
E naquelas ondas
De vens em quando
Nos íamos embalar,
A gaivota
Que não cantava
Ouvia, das ondas
O doce do seu marulhar,
E tal como eu
Começamos, a cantar
E como foi bom
Sentir o vento
Uma aragem penetrante
O mar que andava sedento,
Para ouvir,
Uma voz a cantar,
E com o gemido do vento
A gaivota veio embalar,
E naquele mar sedento
Ouviu.-se a voz do mar
Ficou tão ternurento
Que a gaivota com o vento
aprendeu a cantar!!!

Joana R. Rodrigues 


QUANDO UM DIA!




"QUANDO UM DIA!"

 
Quando um dia me for só, deste mundo,
porque chegou ao fim a minha vida,
hás - de ouvir minha voz que lá no fundo
falará para ti bem difundida.
 
Minha voz terá eco tão profundo
que não se apagará desvanecida,
há - de surgir bem forte, em tom jucundo
e tu lhe hás - de dar plena guarida.
 
Vos deixo o coração aos pedacinhos,
como pão que se dá aos pobrezinhos
em réstias de poesias odorosas.
 
Vós todos lembrareis este poeta,
que sempre colocou em linha recta 
a força das palavras primorosas!
 
Abílio Ferradeira de Brito


sábado, 23 de abril de 2016

OS LIVROS SÃO SONHOS DE GENTE GIGANTE




OS LIVROS SÃO SONHOS DE GENTE GIGANTE


Os livros são o regresso de um passado;
São a vida de um presente rascunhado;
São o encontro inesperado do futuro;
São mensagens eternas de verde ouro.

Os livros são caminhos de ar e luz;
São verbosos labirintos de escritor;
São dom, alma, de poeta e também cruz;
São palavras escritas que urgem o leitor.

Os livros são cultura ou bibelôs de estante!
São utopias e filosofias de alguém;
São pontes da terra ao céu e mais além.

Os livros são sonhos de gente gigante;
São seres em constante movimento;
São noite ou dia ao eixo universal do momento.

© RÓ MAR


O LIVRO É UMA VIAGEM...




Um livro é uma viagem...


Cada livro é uma relíquia; um presente precioso
e uma caixa mágica onde tu podes abrir e voar
para qualquer lugar, onde a tua imaginação 
te quiser levar em liberdade e sem receios...

Um livro é um álbum de memórias;
que ao leres podes reviver acontecimentos 
e momentos vividos ou sonhados!
Cada livro contém muitas histórias
escritas por alguém que quis contar seus 
segredos e o que lhe vai na alma.
Tu podes sentir essas emoções 
com o teu coração e com o teu pensamento
podes ir onde quiseres, para lá do horizonte.
Podes ir á lua, ao fundo do mar, 
dar a volta ao mundo ou simplesmente ficar
a sonhar...

Ao leres um livro deixa-se levar... envolver na
magia das palavras e dos sítios descritos.
Sonha que estás nos lugares e saboreia cada
sabor, aroma e imagina-te lá dentro desse livro
como herói ou uma heroína, vivendo cada momento!

Ler um livro é um autêntico prazer e um acto de
aprendizagem e enriquecimento...
Ficas mais sábio e podes ser o que quiseres,
voa nesse mundo de fantasia e dos sonhos!

Bernardina Pinto


quinta-feira, 21 de abril de 2016

EU, MAIS, EU...





EU, MAIS, EU...


há uma linha invisível
que separa o meu amor,
do teu,
uma linha intransponível,
tão delicada,
tão limitada,
quase infinita,
que não nos deixa ver o céu,
se ao menos, entendesse,
como aconteceu...
porque o amor, existe,
persiste, mas
tu no teu lado,
e eu no meu...
e eu tenho tanto medo,
se não descubro o segredo,
para tornar possível,
para tornar visível,
este amor que nos prendeu,
corro o risco de ficar,
perdida no teu olhar,
perdida do teu amar...
com o espelho a recordar,
uma imagem impossível,
mas, tristemente, credível,

eu, mais, eu...

Rosamar


O PESO DAS PALAVRAS...




O peso das palavras...


Há palavras, 
carregadas,
que pesam mais
do que as pedras de basalto,
originadas, 
tal como a pedra,
na incandescente lava 
do vulcão...

Há palavras, 
que se soltam 
com a fúria dos ventos.

E tal como este
provocam agitação,
ventania,
ruído,
e produzem estragos
mais difíceis de reparar 
do que as consequências 
da força do vento...

Por isso é sensato
que se calem as palavras,
nessas circunstâncias, 
e reine 
o mais sereno silêncio

Hamilton Ramos Afonso


SOMBRAS DE ASSOMBRAR...




Sombras de assombrar…


Olhei-te…
No meio da sombra
Com o Sol quase a se pôr
Minha alma se assombra
Na sombra do teu amor

Voltei a olhar-te…
Estavas tu a sair da sombra
Mas o Sol já se havia posto
E agora quem se assombra
É a sombra com tal desgosto

Olhaste-me…
E vi sombras no teu olhar
Um olhar que me assombrou
Tuas sombras não eram de se amar
Eram sombras do que em ti restou

Voltaste a me olhar…
E eu vi-te da sombra a sobressair
Era noite, mas vi a sombra a brilhar
Na tua sombra tudo há que sentir
Mas não que me queiras assombrar

Armindo Loureiro 


quarta-feira, 20 de abril de 2016

AR ROSADO


Imagem- Bellissime Immagini 


AR ROSADO


Tinha tantas coisas para te dizer
Mas vou deixar que adivinhes o meu pensamento,
Neste mar verde de flores campestres velejo 
Os cabelos pelos ventos do pensamento
E trago-te um beijo
Com sabor a amanhecer.

Não vou esquecer de te dizer
Que te amo, e que és em mim Primavera,
Que se cresce em arco-íris pelas janelas
Da minha áurea, aguarelas
Que pinto de encanto no teu ser
Meu amor, perfeita atmosfera.

Este ar rosado não é pó de arroz,
É o porta-voz
Do nosso amor,
Que faz de mim a mais bela flor.

© RÓ MAR


AMO





Amo

 
Eu amo, sim, com tal simplicidade
a Vida, que a pulsar renova a vida,
a luz do sonho, a íntima ferida
que cicatriza em forma de saudade.

Amo-a ao pensar na dor esvanecida,
vencida pela própria vanidade,
sempre a ensinar a força da piedade
essencial à nossa humana lida.

As coisas mais miúdas, todas, amo,
a brisa que tangendo o verde ramo
balança devagar a frágil rosa.

Eu amo a dor - que torna-nos humanos-
e o amor : os sentimentos soberanos 
que canto em cada verso, trova e prosa.

Edir Pina de Barros


terça-feira, 19 de abril de 2016

CAI CHUVA NA POESIA




CAI CHUVA NA POESIA 


Meu lamento se extasia
Qual justo libelo, ou não,
Cai chuva na Poesia
E cai no meu coração…

Desculpai, ó palavras, desculpai,
Se neste desabafo vai meu lamento,
Rasgo em meu peito aquilo que nele vai
Em réplica a esta chuva e a este vento.

Ao ouvir o triste canto da cotovia,
Que acordou estremunhada p´ la manhã,
Vendo que a cada hora mais chovia
Pantufas pus que são o melhor que há.

Meu lamento se extasia
Qual justo libelo, ou não,
Cai chuva na Poesia
E cai no meu coração!

Todavia, saindo dos meus enfados
Por um curto horizonte à minha volta
Dei uma olhada aos livros e aos mercados
Que ainda existem aqui e ali à solta.

Livros? Nos escaparates só ficção,
Só revistas, romances e atavios,
Jornais, terror… mas a Poesia não
Que o tempo não está p´ ra desafios.

Meu lamento se extasia
Qual justo libelo, ou não,
Cai chuva na Poesia
E cai no meu coração!

- Sim, há qualquer coisinha ali na estante
Mas eu vou ver aqui no computador,
Diz o estagiário, quase provocante,
Conferindo a internet com despudor.

- Tivemos esses livros aqui há dias,
Mas, com certeza, já estão esgotados
Só por encomenda (e algumas mordomias?)
Vai um problema em todos os mercados…

Meu lamento se extasia
Qual justo libelo, ou não,
Cai chuva na Poesia
E cai no meu coração!

- Sabe, é que esta Poesia mete dó
E se houver livros desses, no armazém
Talvez os haja… mas cheios de pó,
Não têm venda, nem mesmo a vintém…

Por estas e por outras, a Cultura
Essa, sim, rodopia como a lesma
E passeia p´ las ruas da amargura
Escancarando a imagem do Sistema.

Meu lamento se extasia
Qual justo libelo, ou não,
Cai chuva na Poesia
E cai no meu coração!

Não acredito que anda por aí azar
Pois de Poesia nada, mesmo nada,
E, pelos vistos, assim vai continuar
Pra desgosto da classe aficionada.

Ai Poesia, ai poetas desgraçados,
Se não chegar por aí uma concórdia
Que faça finca-pé aos tais “mercados”…
Sobeja-nos, quem sabe, a Misericórdia.

Meu lamento se extasia
Qual justo libelo, ou não,
Cai chuva na Poesia
E cai no meu coração!

Frassino Machado
In RODA-VIVA POESIA


OS FANTASMAS NOS SONHOS





OS FANTASMAS NOS SONHOS


Trago sempre
Na minha memória
Recordações,
De palavras de inglória
De algumas saudações
De uma breve história,
Não sei!!
Se é a vós da razão
Se é apenas a emoção.
Com que conto
As minhas histórias,
Saudades tenho algumas
Mas voaram
Como plumas
As minhas recentes
Memórias,
Será que eu sonhei
Com sonhos de fantasmas
Eu tua imagem presenciei
Do meu sonho saí
E quando regressei
Tu já lá não estavas,
Será que no meu sonho
Eu contigo almocei,
Naquela mesa em que eras
Parte de recordações
Quando do sonho acordei
Tu de mim te despedias
E num aceno me dizias
Chora as tuas emoções

Joana R. Rodrigues


UMA RARIDADE




UMA RARIDADE


Ontem de manhã visitei
O maior museu do Mundo
Por todas as salas procurei
Ter o conhecimento profundo 

Queria muito encontrar
A peça mais preciosa
Apesar de não poder tocar
Saberia que era a mais valiosa

Na fila estavam imensos visitantes
Que peça seria esta tão especial
Queria vê-la apenas por breves instantes
Essa obra de arte especificamente genial

Quando chegou a minha vez fiquei espantado
A tal jóia rara, era apenas um LIVRO uma raridade
Parecia ser o último à muito tempo na vitrine arrumado
Triste porque à muitos séculos que não era desfolhado

Paulo Gomes


DANÇO NO TEMPO DE VOLTAR NA ILUSÃO A SONHAR





"DANÇO NO TEMPO DE VOLTAR NA ILUSÃO A SONHAR"


espero, sem me cansar, pelas voltas do mundo onde sonhamos voltar, nas praias desertas, onde os golfinhos dão em habitar, águas de nós quentes, pelo brilho das velas no horizonte a brilhar, enquanto isso, danço no tempo, de voltar na ilusão, a sonhar, no sonho das algas feito cabelos nas cores verdes do teu olhar porque as conchas trazem-nos novas a cada novo acordar, são cascos de madeira envernizada nas encostas da terra a desembarcar e com elas novos tesouros desenterrados e ao luar, no cansaço das estrelas, cintilantes a dançar aguardam pelo relampejo de uma trovoada a chegar, tudo alagará na terra que tocar, só deixará imune, o que na voz do mar se une para acreditar e sair ileso, das malhas ancoradas de amar...
'
 Ana Carvalhosa


(A)MAR A TEMPO INTEIRO


Bellissime Immagini - Stephen Ramjewan



(A)MAR A TEMPO INTEIRO


(A)mar que tanto quer e nada vê…
O Coração abalroado ao cais, mercê
Da saudade d’um velho cacilheiro;
Jornal amarrotado ao punho forasteiro;

Saudades que traspassam em cliché
Letras de amarelado démodé…
Que se lêem no presente sobranceiro
Invocando pelo verbo conselheiro.

Ó alma, que lês o verbo amar, porquê?
Navegas pelo vento tão traiçoeiro
Que aos olhos o horizonte nem vê.

Abre o coração ao mar, teu companheiro,
E sente a vida livre de fuzuê
Pelo olhar que quer (a)mar a tempo inteiro.

© RÓ MAR


segunda-feira, 18 de abril de 2016

FOLHAS VELHAS




"FOLHAS VELHAS"


Nas folhas muito velhas do passado
Escrevi minha história que encantou,
São frases rabiscadas no meu fado
Que um outro fado novo originou.
 
Escrevi com amor em tom ousado
Tudo o que a minha musa me ditou,
São versos de um poeta apaixonado,
Que muito já sofreu, mas não quebrou.
 
Guardei as folhas velhas num altar,
Longe do tempo novo as quis guardar,
Querendo as preservar de negros dias.
 
Hei - de as levar comigo qual guião,
Quando deixar na terra o coração,
Pois são o meu rosário de alegrias.
 
Abílio Ferradeira de Brito


ALMA FELINA...




Alma felina...

 
 Naquela manhã fresca de Agosto,
no abraço que demos ao saudarmos o nosso encontro, 
para uma viagem em comum, 
com o barco veloz que sulca as aguas do Tejo
despejando literalmente em Lisboa, 
os habitantes da margem esquerda,
que nela dormem e habitam 
e laboram na grande cidade, 
desertificada à noite;
fiz a viagem que podia ter mudado a minha vida...
... mas deixei-me prender a uma quimera, 
fui atrás de uma ilusão...

Hoje recordo-me que naquele abraço, 
na força que ambos pusemos no fechar do laço, 
senti a força de uma mulher, com uma força indómita,
própria das almas selvagens e livres, 
que apenas se prendem aos desígnios
que as façam florescer na liberdade 
que apenas se tem nas extensas planícies
onde correm livres os felinos
que o teu caracter bem representa...

E eu que fui atrás de uma quimera, 
que me perdi por uma alma amargurada, 
cheia de dúvidas, incapaz de tomar decisões, 
que nunca foi capaz de aceitar o meu amor...
... perdi a oportunidade de embarcar
na mais importante viagem da minha vida...
 
Hamilton Ramos Afonso


NA FOLHA NÃO CRIADA AMAR


 


NA FOLHA NÃO CRIADA AMAR


deitar-me contigo na folha
sentir o teu cheiro ao sonhar
e abraçar-te sempre que quiser
nas horas que o pó tende a nos agarrar
são os momentos inesperados incontados
que nos faz perder nos sonhos de dizer
que por mais que o tempo se escoe
é só para o teu corpo encontrar
o que aparte de mim ancorar
na folha não criada amar

Ana Carvalhosa


ESCRITOS E PEDRA




ESCRITOS E PEDRA 


Escritos de amor e pedra dura...
Poemas escritos de desejo vividos
Momentos de paixão mas sem amor
Pobre do ser que sonhava alegremente
Veio pela calada pedir a lealdade
Daqueles que nao sonhavam na vida
Enguliam a vida na solidão 
sem amor próprio ganhando pedras.
O ser esperto com a sua sabedoria,
escrevia poemas de embalar
E sonhos do universo estrelado
Palavras raras e frases encantadas
Escritos de amor na sua elegância.

Quem diria, quem dizia!!!!! 
Que o seu coração é de pedra...
Vivendo de desejos e fantasias
Na sua mente perversa!! 
Usando e descartando.
Sonhos de alguém 
deixando,
Lágrimas e tristezas para traz
Como se o mundo fosse rocha 
No seu peito feito de pedra 
Sem dor nem amor no coração 
Só...
Escritos e pedra!!!!

Isabel Amorim 


domingo, 17 de abril de 2016

OLHE PARA VOCÊ




Olhe para você


Não fique triste. 
A vida é linda demais... 
Olha a lua, as estrelas 
Estão lá a brilhar porque você existe... 
O sol... 
Vêm todas as manhãs te beijar a pele 
E você nem o nota,...
As flores... 
Ah!! As flores são mágicas, 
Nasceram pra fazer seu olhar brilhar 
Toda vez que olhar pra elas. 
Ah! Ainda falta alguém...
Falta você... 
Olha você!... 
Que obra prima de Deus, 
Escolhida por Ele para viver e ser feliz...

Madalena Lessa


O DIA INTERNACIONAL DO CAFÉ


 Imagem- Fernando Pessoa


O DIA INTERNACIONAL DO CAFÉ - 14 de ABRIL


Para comemorar O DIA INTERNACIONAL DO CAFÉ, nada melhor que tomar um cafezinho com Fernando Pessoa, na Brasileira - Chiado! Sempre vivemos as suas geniais e atuais mensagens ao sabor do melhor café! 
Para quem quiser ficar por casa bem pode acompanhar ao café a leitura da obra de tão vasta heteronímia que Fernando Pessoa nos legou! 
A continuação de um excelente Dia, com Pessoa, ou sem Pessoa, mas sempre ao sabor do café, o que para além de avivar a memória é delicioso e atrativo, complemento essencial do dia a dia. 
Digamos que passar sem Pessoa todos conseguem, agora viver sem um cafezito para abrir a pestana torna-se bem difícil! E sigamos, um café na hora certa e na companhia adequada pode ser um momento de felicidade que, não só pelo paladar mas também pela ocasião, se pode tornar memorável! 
E, é de tão pouco, uma xícara, que se vai construindo a vida, pequenos nadas, (não precisa de ser Nicola, pode ser bem um outro qualquer) são um todo! Não por ser café, até pode ser outro qualquer, mas porque é alma de gente que pensa grande, gente que sonha e que amanhece no sabor genuíno que a vida sempre tem! 
Mas como hoje se comemora o café, que deve ser hoje e sempre, sigamos, que tal ir até Belém tomar um café ao sabor dos pastelinhos natas polvilhados a canela? Sigamos, vamos a qualquer lado, nem que seja ficar em casa, mas não estáticos, circulemos, a vida é isso mesmo! 

© RÓ MAR


O CAFÉ UM OUTRO AMOR




O CAFÉ UM OUTRO AMOR


É um outro amor que eu tenho, 
De bom sabor que me desperta,
Quando o seu gosto entranho,
Absorvido sem ordem e regra.

Três a quatro vezes ao dia ingiro
Tão delicioso néctar, eu suspiro
Por mais beber, por ser delicioso,
Como o beijo de amor malicioso.

Bebida que jamais se dispensa,
Tal é o seu delicado e tão doce 
Sabor, que acelera o coração,
Em momentos de mais emoção.

À mesa de casa, ou duma cafeteria,
É sempre um momento irreverente
Que se celebra como mui essencial,
Ao tomarmos um café de presente.

Como um amor cego e para a vida,
Não passamos sem um café, várias
Vezes ao dia o saboreamos, magia
Que toma conta de nós, como tara.

Ruy Serrano 

TENHO PELO CHOCOLATE UM CASO DE PAIXÃO




TENHO PELO CHOCOLATE UM CASO DE PAIXÃO 


Pelo muito que dele se conta, entre o real e a imaginação.
Escandaloso, decadente, luxuriante, divinal, soberbo, magnífico... De fazer "crescer água na boca "... de " comer e chorar por mais". Eis alguns dos qualificativos aplicáveis ao chocolate, esse ingrediente quase mítico a que se associam o prazer gustativo e o prazer físico, a alegria e a tristeza, a exuberância e o abatimento!
Um ingrediente universalmente conhecido ( e reconhecido!) e talvez mesmo o mais popular em todo o mundo!
Paixão e Chocolate...
Paixão é algo forte e carnal. Chocolate é algo doce e divinal. Uma vive-se… A outra consome-se… Ambas têm um sabor intenso que pelas quais, o nosso corpo se ocupa. Por vezes, enquanto a Paixão vibra, temos momentos de volúpia mas, pelo mais incrível que pareça, estamos carregados de energia! Pois… se não fosse o Chocolate, o que de nós seria? Entre a Paixão e o Chocolate, gera-se um aroma… um aroma bem apaladado, que com o evoluir da situação, mais tarde ou mais cedo vai tornar-se numa afrodisíaca poção.
Como já disse,  AMO O CHOCOLATE... pela sua textura, que devagar se funde na boca. Pelo quanto de sedutor se pode com ele preparar. Coisas do mais puro amor! De uma doçura imperiosa e profunda!
O chocolate está na moda! Claro que já noutros séculos, as pessoas sucumbiram à doçura sedutora do cacau!
Vem da minha infância este gosto, quando cada semana de bom comportamento era premiada com uma barra de chocolate embrulhada em papel de prata. Poder-se-á contestar o pedagogismo... mas lá que era uma festa...!
Ou não tivesse memória o paladar! 

Leta Moreira


GUARDA-ME EM TI


Imagem - Sensualidade


GUARDA-ME EM TI


Olhar-te e assim escrever nos teus olhos
A maré de meus pensamentos
É muito mais que desejar-te!

Sentir-te e assim escrever nos teus lábios
O céu do coração em voos astrolábios
É muito mais que mero prazer!

Ter-te e assim escrever um poema
À raiz do corpo em versos de alma 
É muito mais que poesia de se ler!

Amar-te e assim dizer guarda-me em ti
Num todo teu sempre é pensar-te
Muito mais do que quando te li!

© RÓ MAR


sábado, 16 de abril de 2016

NÃO TE ESQUEÇAS...


Art by Valerie Ann Chua


Não te esqueças…


Não quero que te esqueças de mim
Pois teu amor eu sempre espero
Não sei porque agora estás assim
Desgostosa num amor que é tão vero

Mas olha que meu amor
Vai esperar sempre por ti
Recebe todo o meu calor
Já que o teu também senti

Neste dia de alegria
Em que o céu está a brilhar
Deita fora a nostalgia
Vai ao mar, sob a areia passear
E depois vem a mim para te amar

Não vivas na solidão
Nem mascares a alegria
Procura antes a paixão
Abandona essa ilusão
És meu amor quem diria

Ainda hoje me lembro
Daquele teu belo olhar
Por alturas de setembro
Comecei a te amar

Jamais te esqueças de mim
Minha flor que eu tanto gosto
Colhi-te virgem no meu jardim
Eras um botão que era assim
Minha alegria em que eu aposto

Armindo Loureiro

UM BANHO NO RIO AO LUAR




UM BANHO NO RIO AO LUAR


Tão jovem eu era, de sonhos eu vivia,
Quando à noite, ao luar, mergulhava
Nas águas claras do rio da minha vida,
Abraçado à mulher que eu idolatrava. 

Os minutos que passámos então juntos,
Pareciam anos, tal era a nossa entrega,
Momentos de prazer, doces como o mel
Que nos esquecíamos de quem éramos.

Vinham pássaros junto de nós a saudar
Com seus alegres piares e muita alegria,
Com prazer, por nos fazerem companhia,
Em momentos que guardei para recordar.

Tempo em que a floresta nos dava Paz,
O cheiro a mato era um bálsamo virgem
Que só de o lembrar ainda me satisfaz,
Dando-me prazer, como uma vertigem.

Essa vida que eu vivi naquele tempo,
Já hoje não se usa, está fora de moda,
O que agora conta é artificial e redutor,
Tudo é provisório, jamais é reprodutor.

Um banho no rio ao luar hoje sabia bem,
Nem que me banhasse em águas turvas
Com minhas lágrimas de muita saudade,
Que eu jamais esqueço, santa bondade.

Ruy Serrano 

OUTRA DIMENSÃO





OUTRA DIMENSÃO


A, sonhar fiz, uma prece a Deus.
Que acendesse o sol, pra te ver
E, enamorar-me nos olhos teus,
Deixar-me ao teu corpo prender.

Pois só tu tens o divino condão.
Entender, meu ser frágil, mortal,
E, levar-me pra outra dimensão,
Com o teu beijo doce, celestial.

Joaquim Jorge de Oliveira


MUITAS CORES NOSSOS DIAS...


Pintura -Ilma Seheelerg

Muitas cores nossos dias...


Cores, flores, leveza, estrelas, doçura, nuvens e sorrisos.
Sei que eu repito essas palavras muitas vezes, em todas as frases, em todos os textos.
É que meus dias têm sido desse jeito, compostos por essas delicadezas.
Feitos dessas bonitezas da vida, que fazem tudo parecer mais... leve.
Que Deus permita que eu siga bordando meus versos com milhares de cores e flores, e lindezas, assim.
Transformando passado em poesia, desenhando no presente, um futuro mais bonito. E doce. E todinho enfeitado de fé, muitas cores nossos dias...

Madalena Lessa

MEU ÚLTIMO OLHAR




MEU ÚLTIMO OLHAR


deixa-me repousar 
meu olhar em teu corpo
enquanto dormes 
e amanheces
nos sonhos 
que em mim enobreces
ser tua no travesseiro
na tua pele recostar
meu ser cansado 
apela teu sorriso deitado
e desperta meio acordado
no sonho de me tocar
aconchega e sussurra
descansa vai-te deitar
e eu repouso em ti 
meu último olhar

Ana Carvalhosa

O TEU POEMA , O MEU POEMA





O TEU POEMA , O MEU POEMA


Meu poema te levou às lágrimas,
As lágrimas caíram do teu rosto,
Será que te emocionou o poema
Ou foi teu coração, de desgosto!

Sentes cada palavra, porque te sentes,
O teu coração está magoado,
Ao ler tu nunca mentes,
Porque no meu poema o teu é recordado!

O teu poema, traz-me lágrimas ao rosto,
Eu sei que não foi o tema,
Mas é o teu coração, que tanto sofre de desgosto!

Teu poema, ou, meu poema vivem a dor,
Por sentires tanto sofrimento no tema,
É porque perdeste teu poema, teu grande amor!

Joana Rodrigues 

quarta-feira, 13 de abril de 2016

BEIJO QUE DEIXA SAUDADE


Imagem - Zzig



BEIJO QUE DEIXA SAUDADE


Beija as palavras d'alma e coração.
Em vida que sejam perfume d’uma nação,
Na partida o celeste vento da eternidade!
Perfuma a vida no beijo que deixa saudade,
Dedilhando palavras em botões do teu ser,
Deixa que sejam rosas a nascer.

© RÓ MAR


RESPEITO O DIA...


Green lovers by Marc Chagall (1937 - 1985)


Respeito o dia…


Olho para a rua
E te vejo a passar
No meu olhar vais nua
E minha alma amua
Por não te poder ali beijar

És Lua e és Sol
Que me dão o brilho seu
Teu raiar me põe mole
Talvez pela falta de escol
Não sabe como te levar ao céu

Mas mesmo assim sonho contigo
E te quero fazer minha
Desculpa lá o que aqui te digo
Conta que tens aqui um amigo
Que te quer sempre na linha…

Quero te dar meu beijo
Um beijo cheio de genica
Tu serás sempre o meu ensejo
Beijar-te é o que mais desejo
Num beijo que em ti vivifica

Armindo Loureiro


NOSSOS BEIJOS




Nossos beijos


É esta lua que me fascina
As estrelas que me encantam
É o seu beijo de saudade
Onde a alegria se faz rir
É a felicidade que sobrevém
Nossos beijos abraços mais sinceros
Que na vida sempre irei recordar 
Na inocente vontade de ser feliz
E ao entender que tudo é passado
para que o meu beijo possa ter
Eu terei que te amar... tenho que lhe beijar
Por toda minha vida... eu sei que vou te amar

Madalena Lessa