terça-feira, 25 de agosto de 2015

IMENSAMENTE TU


Imagem - Art of God and Nature 


IMENSAMENTE TU


Acho-te quando me perco
nesse teu intenso ser.
Grande alma que do peito sai
encantas-me mesmo sem te conhecer.
Irradias alegrias imensas
que saltam ao meu olhar perdido em ti.
Dás-me alento e crias-me vontade por mais
encontro-te quando menos espero.
Sei-te assim desse teu jeito de ser
em muito igual ao meu.

Fernando Figueirinhas

CUMPLICIDADE


Desenho a pastel de Mila Lopes


Cumplicidade


…Celestial cumplicidade
do teu meigo olhar 
ao contemplar meu ser...

…O teu abraço
o teu afago
é luz no meu viver.

…Uma doce palavra 
que não se diz
mas que se saboreia
em todos momentos.

…Um amor só nosso
que não se ensaia
mas que se vive
todos os dias.
…Uma alma despida 
num corpo enamorado
que eleva nosso ser
á mais pura essência.

…Uma cumplicidade
de dois seres que se amam
por toda a eternidade.

Mila Lopes

IMAGEM E IDENTIDADE


Imagem - Google


IMAGEM E IDENTIDADE 


“Louvando a Arte e a Poesia”


Todo o significado d´ Imagem
Tem na sua essencialidade
Um paradigma de identidade
Numa alma feita hospedagem.

Do ser humano a condição
Comporta afável aprendizagem
Revelando por motivação
Todo o significado d´ Imagem.

Se o horizonte da natureza
Dá um sentido à realidade
Uma aura justa de beleza
Tem na sua essencialidade.

P´ la morfologia da estética
No seu conteúdo e verdade
Corporiza-se como poética
Um paradigma de identidade.

O místico, o artista, o poeta
Sentem da vida a própria imagem
E bebem-lhe a essência concreta
Numa alma feita hospedagem.

O místico, olhando a natureza,
Canta duas vezes rezando;
O artista e o poeta, de certeza, 
Estão nela duas vezes cantando.

Da palavra é o fiel ornamento
Na diva Imagem como harmonia
E é como o sol em movimento
Louvando a Arte e a Poesia!

Frassino Machado
In MUSA VIAJANTE

domingo, 9 de agosto de 2015

POETA COM SORTE



POETA COM SORTE


Suave amanhecer 
Nesta manhã de verão 
Sinto vontade de escrever
Sentimentos do coração 
O sol brilha sobre a colina
As flores ficam mais coloridas
O meu coração se anima
Esquecendo as mágoas vividas
É o início de uma nova semana
Uma segunda feira a estrear 
Com o calor que o sol emana
Fico com vontade de me levantar 
Aproximo-me da minha janela 
E vejo uns passarinhos no jardim
Um mendigo dormindo na ruela
No ar um aroma a flores de jasmim 
As árvores sem vento parecem de papel
Com um tom de cor verde muito forte
No largo do coreto vislumbro um carrossel 
No meu pensamento sou um poeta com sorte!

Paulo Gomes

QUER EM TERRA QUER EM CÉU ASSIM: ETERNO DESLUMBRE


Imagem – Bellissime Immagini 


QUER EM TERRA QUER EM CÉU ASSIM: 

ETERNO DESLUMBRE


Um dia o nosso mar há-de assim florir:
Acredita amor que antes de partir
Deixo em terra sementes de outra vida
Que comigo partilharás em vida.

Um dia a saudade há-de assim florescer:
Acredita amor que antes de partires
Deixarás em terra vida a crescer
Que connosco partilhará tais sentires.

Acredita amor sempre que o mar não findará;
Acredita que o tempo é eterno sempre;
Acredita em nós que tudo o será
Quer em terra quer em céu assim: eterno deslumbre.

® RÓ MAR

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

CANTA-ME DESSA MANEIRA...



Canta-me dessa maneira…


Noutro tempo já se dizia
Que o fado era português
Somos um povo com alegria
E nosso coração vive a magia
Do amor que no fado se fez

Era assim que se cantava
E se alegravam os corações
É que o fado nos irmanava
Numa viela a nós se juntava
Vinham ao de cima as paixões

Cantava-se em qualquer colina
Da nossa bela Lisboa
Não abundava gente fina
Mas quem tinha na sua sina
Cantar até que a voz lhe doa

Cantava-se dessa maneira
Com o seu quê de espiritual
Era bendita a brincadeira
E até se dizia uma asneira
Era fado, não havia igual

Eram vozes de tão roucas
Que encantavam no seu chorar
E as guitarras em mãos moucas
Dedilhadas por gentes loucas
Mostravam como se devia amar

Ai quem me dera voltar a ouvir
Esses lindos fados d’outrora
Mas que beleza de sentir
Em que ninguém queria mentir
E não me apetecia vir embora

Armindo Loureiro

SAUDADE DE TI

Imagem - Google


SAUDADE DE TI


Acordei e senti uma enorme saudade
Saudade de acordar a ti abraçado
Saudade dos momentos de felicidade
Saudade do caminho por nós caminhado

Senti a falta do teu fantástico olhar
Senti a falta do teu lindo e doce sorriso
Senti a falta da tua angélica voz a falar
Senti a falta de ti que eu muito preciso

Saudades do teu fabuloso carinho
Saudades de ti, minha linda Fada,
Saudades do teu tão doce beijinho
Saudades de dormir na tua almofada

Sim, hoje acordei com um lindo desejo
Vou tentar escrever tudo o que te diria
Amor, recebe com carinho este meu beijo
Para que tenhas um fantástico e lindo dia

Paulo Gomes

O AMOR ALÉM DO OCEANO




O AMOR ALÉM DO OCEANO


Amar como fazer
para ama-lo
Mora tão distante
do lado do oceano
Amar ficar somente nos
meus pensamentos
Amar: sentindo Fechando os
meus olhos para te ver
imaginando como amar
sentir mesmo de longe...
e a minha boca querendo lhe dizer...
como és especial.
Eu com meus olhos fechados 
desceram lágrimas que não enxuguei,
e da minha boca fechada 
nasceram sussurros desejos 
com as minhas palavras 
mudas mais quero lhe dizer...
Mais este amor de tanto tempo...
Esse sei que mesmo de longe 
distante vou admira-lo é
um amor que nasceu quando lhe 
conheci pela primeira vez
a gente ama sente mesmo sem toca-lo...
que ele já mora dentro do meu coração...

Madalena Lessa

ALVORECEMOS NA ENSEADA


Aguarela de João Brum


“ALVORECEMOS NA ENSEADA”


Dia quente
Brasas no ar
Fogo Poente 
Sumo solar!

Há solfejos,
Há cantigas,
Há beijos,
Tu abrigas!

Veio a tarde;
No anoitecer
Sol não arde.

E nós amada,
A alvorecer
Na enseada!

Alfredo Costa Pereira
 

TEUS OLHOS


TEUS OLHOS 


Poema
são os teus olhos
espelhos
da minha alma
teu olhar é terno e profundo
por entre
as belezas
do mundo
Teus olhos
acalmam-me
conforta-me
tu és a estrela
que mais brilhante
brilhas só para mim
Teus olhos
são meigos 
sinceros
tu meu amor
és tudo o que quero
para mim
Teus olhos
são castanhos
por natureza
amendoados 
e brilhantes
parecem
dois diamantes
Teus olhos 
fascinam-me
e encantam-me
têm ternura 
sem fim
são de rara beleza
são flores 
do meu jardim
poema 
são os teus olhos
espelhos
do meu amor
sem fim.

Mila Lopes

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

OLHOS TEUS SÃO SEVEROS OLHARES


Imagem- Il potere dei pensieri 


OLHOS TEUS SÃO SEVEROS OLHARES


Todos os lugares são mais, incomodam,
Têm um brilho que sufoca e um adeus 
Que prende a alma ao céu do coração;
Têm a visão encandeada em olhos teus.

Todos os lugares são jardim deserto,
Têm sombras múltiplas que se passeiam,
Que assoleiam o corpo em éden incerto;
Têm a ilusão estampada de que amam.

Entre o lato sentido de todos os lugares
E o sol experto de tantas direções 
Olhos meus cegam de tantos olhares.

Entre o deserto de todos os lugares
E a luminescência de tantas sensações
Olhos teus são severos olhares.

® RÓ MAR

VIDAS ILUSÓRIAS...



Vidas ilusórias…



Como é que pode ser
Ter que pensar até morrer
Na vida que não se tem
E se ela até será um bem

Será que é uma ilusão
Viver a vida sem opinião
E até sem qualquer prazer
Neste mundo de morrer

Nasci sem o pedir
E sem sequer sentir
O que viria cá fazer
Mas para quê estar a mentir
Se o que qualquer quer sentir
É se a vida tem algum prazer

Ora, ora meus amigos
Despertem lá os sentidos
Não fiquem aborrecidos
Que a vida é mesmo assim

Vivê-la com o máximo de prazer
Ao lado de qualquer bom ser
É isso que a todos interessa
Nem que algum mal aconteça

Mas não sei se será verdade
Nesta vida sem vontade
Que eu vivo bem a correr
Anda por aí tanta vaidade
Em gente que cria a saudade
E que nos dá vontade de morrer

São estes energúmenos
Que gerem sem gerar
Apenas vêm números
E o resto não é de amar

Quero ver a vida renascer
Sair deste espaço cinzento
Saber o que cá vim fazer
Reviver um bom momento

Armindo Loureiro

SONHAR



SONHAR


Aos olhos de quem muito ama
Nenhuma distância nos desanima
Arde como uma forte chama
Que tudo envolve e tudo domina

Como uma chama ardendo enraivecida
Que cresce se agita forte e desponta
Não por uma hora, mas sim para toda a vida
Fazendo que contigo sonhe vezes sem conta

Quando Amor é sincero, o limite é o céu
Mas são várias as emoções que desperta
Com a distância separada por um simples véu
Que faz então sonhar este aprendiz de poeta

Paulo Gomes

O SAL DA INGRATIDÃO


Arte: Victor Bauer 

O sal da ingratidão


O teu tempo povoado de desculpas...
garimpando motivos,
mesmo que sem qualquer adesão à realidade,
porque dava trabalho reconhecer 
que era difícil, mas viável
porque a verdade é que o que chamavas amizade
era amor...

A dificuldade em reconheceres essa certeza
encontrou aliado na mais impensável e cruel atitude
a de rebuscar nas vírgulas e reticências do tempo
motivos para espalhar a dúvida, para a discussão fácil,
para o afastamento, não cuidando de saber 
as feridas em chaga que ias causar...
...o espinho que cravaste bem escolhido...

Não nego que chorei a ausência, 
como por solidariedade para contigo chorei...
mas a fonte de água que alimentava os meus olhos secou
e apenas resta o sal da ingratidão 
e a determinação de seguir em frente,
porque não mereces as lágrimas que por ti derramei...

Hamilton Ramos Afonso

ANTES DO POEMA



ANTES DO POEMA


Poema é espírito, não tem início nem fim.
Poema é antes de sê-lo porque houve um desejo
que o fez nascer.
Poema sai aos prantos quando é escrito, 
há a alma de quem o fez, 
pai que o gerou sem saber o que tinha:
íntimo momento de prazer indescritível,
amor súbito, amante que encontra outro inesperado,
quando no estardalhaço do silêncio clama.

Fernando Figueirinhas

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

CANTAM OS GRILOS


CANTAM OS GRILOS


cantam os grilos
enquanto a fonte seca...

a fome não pode matar os grilos
só porque definham as alfaces...
eles podem sempre comer serralhas
plantas selvagens
que crescem nos campos...
não se podem deixar morrer os grilos
bichos negros
com asas que se roçam
e soam como vidro
nas noites quentes de verão...
os grilos não podem morrer
porque são eles
que embalam os poetas
e criam música
na cabeça dos sonhos
partituras frágeis e loucas
que afugentam o medo
ainda que as esperanças sejam poucas...

enquanto os grilos cantarem
soará uma orquestra pelos prados
e a fonte vai esperar
a chuva que a vem salvar...
enquanto os grilos cantarem
podemos sempre ouvir
enfeitiçados
cair a prata do luar...

r.r.- Rosa Ralo

SEMPRE QUE ALGUÉM QUISER O BEM-ME-QUER


Imagem- O amor entre linhas


SEMPRE QUE ALGUÉM QUISER O BEM-ME-QUER


Que sempre haja plena consciência de amor
Que sempre haja a hora a bem amar
Que sempre haja a paixão em linda flor
Sempre que alguém quiser o bem-me-quer!

Sempre que alguém quiser o bem-me-quer
Não há incerto amar em todo o seu viver
Não há pensar maior que a memória em coração
Não há mal-me-quer que ouse desafiar.

Não há mal-me-quer que ouse desafiar
Sempre que haja casto beijo em linda flor
Sempre que haja olhar nítido em coração
Sempre que alguém quiser o bem-me-quer.

® RÓ MAR

DIAS DE SOL NOITES DE ESTRELAS


Imagem - Google


DIAS DE SOL NOITES DE ESTRELAS


Quero dias de sol para poetar,
Noites de estrelas para amar,
Viver feliz comigo a escrever
Para podermos assim tudo ler.

Dias de sol com as aves a voar,
As crianças no parque a brincar,
Os idosos a passearem pela rua,
Do seu bairro, com a vida pura.

À noite as estrelas me encantam,
Com seu brilho de tal esperança,
Que me inspira a escrever poesia,
Para por mim e amigas ser lida.

Vivo feliz com o sol e as estrelas,
São a minha principal companhia,
Deito-me com as belas estrelas,
Acordo com o sol pelas frestas.

Ruy Serrano 

terça-feira, 4 de agosto de 2015

A ALMA E AS MÃOS...


Imagem - Google


A Alma e as mãos...


Todos os nossos gestos de afecto começam na alma, 
que nos dita a vontade de interagir 
com o nosso semelhante, das diferentes formas
que os afectos revestem, seja, o amor, a amizade
ou apenas um gesto de solidariedade
por causas mais diversas...
A vontade da alma, 
transmite-se ao veículo onde tudo começa, 
as nossas mãos, 
que vazias se preenchem de ternura, 
carinho, vontade de ajudar, 
estendendo-se para quem delas necessita 
servindo de lenitivo, 
alento, 
refrigério para as agruras da vida 
e calor solidário face a uma situação 
de penúria ou de desgaste...
São estas mãos vazias 
que quero encher com as tuas 
para que sintas que elas te ajudarão 
em horas de dificuldades, com a ternura 
e o carinho que já conheces.

Hamilton Ramos Afonso

domingo, 2 de agosto de 2015

O SENTIDO DA VIDA


Imagem- Google


O SENTIDO DA VIDA


Que sei se a vida é curta
ou longa para nós, mas sei
que nada do que vivemos
tem sentido,
se não tocarmos o coração
das pessoas.
Muitas vezes basta ser: 
colo que acolhe,
braço que envolve, palavra
que conforta
silencio que respeita, 
alegria que contagia,
lágrima que corre, olhar que
a caricia
desejo que sacia,
amor que promove.
E isso não é coisa de 
outro mundo é o que
dá sentido à vida.
É o que faz com que ela
não seja nem curta,
nem longa demais,
mas que seja intensa,
verdadeira, pura enquanto durar.
Feliz aquele que transfere o que sabe e 
aprende o que ensina,
O amor e amizade...
que fica guardada no coração, essa é para sempre...

 Madalena Lessa

EU QUERO SER SEMPRE ASSIM




EU QUERO SER SEMPRE ASSIM


Eu quero ser sempre assim
Ser um sonhador ter asas e poder voar
Atravessar os desertos por terra ou mar
Quero ser criança para poder assim sonhar
Não quero sentir os anos por mim a passar

Eu quero ser sempre assim
Ser ainda infantil a todo o momento
Seguir apenas o que me diz o coração 
Deixar-me guiar apenas pelo sentimento 
E viver a vida, sonhando com ilusão

Eu quero ser sempre assim.
Viver ainda num lindo mundo de fantasia
Poder sonhar, mesmo estando acordado
Viver e partilhar a minha contagiante alegria
Sonhar que estou pelo mundo apaixonado 

Eu quero ser sempre assim
Não quero nunca ser diferente
Quero muita sorte para mim
Hoje amanhã e para sempre

Eu quero ser sempre assim 
Que o destino não me deixe mudar
Não quero que este sonho tenha fim
Pois quero com poesia vos apaixonar

Paulo Gomes 

AH, MEU AMOR TENHO UM SONHO


Imagem - Google


AH, MEU AMOR TENHO UM SONHO
LUA AZUL


Ah, meu amor tenho um sonho,
Ser a tua Lua reflexo a coração,
Ser a luz em tua vida.

Ah, meu amor tenho um sonho
Ver o luar no teu olhar,
Ser reflexo a teus pés.

Ah, meu amor tenho um sonho
Ser o teu dia na escuridão da noite,
Ser só para ti lua cheia.

Ah, meu amor não digas não!
Não, não vejo o sol, sou tua por inteiro,
Só para ti brilharei.

Ah, meu amor não digas não!
Não, em ti sou tudo, tu és o milagre
E eu serei tua lua azul.

® RÓ MAR / 2012

MADALENA



MADALENA 


Prudente era a Madalena.
Encontrou-se com a mãe e puseram-se a falar.
Conversaram sobre os factos ocorridos recentemente.
Havia desejo de mudança nas palavras de Gin
e desespero nos ouvidos de Madalena.
Houve encantamento acometido de surpresa 
em tudo o que diziam.
Queriam a paz de outrora onde nada acontecia.
Trocáram ideias que lhes pareciam insensatas.
Deixaram aquele lugar inóspito e distante
que traçava outros caminhos
escurecidos pela noite que sentiam 
e um escândalo desejado
por uma mãe que ali havia.
Faziam-se votos além-sentimentos 
em tudo o que prometiam. 

Fernando Figueirinhas

A VIAGEM



A VIAGEM


Pode ser difícil fazer
algumas escolhas,
mas muitas vezes
temos que decidir
como sermos feliz
isso é necessário.
Existe uma diferença
muito grande entre conhecer
e viver esse grande amor...
o caminho e percorrê-lo. 
A tristeza pode ser intensa,
mas jamais será eterna.
nada que possa lhe empeça 
de procurara sua...
A felicidade

pode demorar a chegar

mas o importante é que ela
venha para ficar
e não esteja apenas de passagem…
sim para ficar...
.
nunca deixe de amar...
valeu a espera ter esperanças
encontrar com a felicidade...

Madalena Lessa

PORQUE ESCREVO...



Porque escrevo…


Os versos que eu faço
São versos sobre o amor
Pena o tempo ser escasso
Para sentirem o meu traço
Em escritos do meu calor

Voam versos na minha pena
Escritos quase sempre a correr
Não sei se estão a ver a cena
Numa hora de tão amena
É na escrita que sinto prazer

Gosto de ler muita gente
Que me anima no que escreve
Num livro eu sou contente
E tenho sempre presente
Ao que alguém aqui se atreve

Ouso isto tudo dizer
Porque reconheço a dificuldade
Quem escreve sente o prazer
De aos outros dar a ler
O que escreve sobre a verdade

Ando por aqui há muito tempo
A tentar dar algo de mim
Ainda não chegou o momento
E nem tudo eu o lamento
Porque gosto de ser assim

Vou pois sempre escrever
Aquilo que me vem à alma
Nem sempre terei prazer
Mas há que reconhecer
Que a escrita me acalma

Armindo Loureiro