terça-feira, 16 de agosto de 2016

CANTIGA DA NATUREZA





Cantiga Da Natureza


Sorrio fluente em carne osso te escuto
Meu curso é corrente corredeira... 
Sorrio dentro volátil, etérea sou vulto 
Sou dama do vento, artesã de amor fiandeira 
Um dia no teu peito fiei-me amiúde faceira 
Contornada por teus lábios musicais 
No dia em que meu sorriso cigana feiticeira 
Bebeu nos olhos teus cântaros florais 

Tive em ti minh' fonte inesgotável cardeal 
Encontrei-me em tua nascente e riste 
Em teu sorriso estrelato o blues labial 
Vi tanto amor que a tua luz me consiste 
Existo agora sigo minha própria profecia 
Anunciada instintiva e melodicamente 
N'aurora que choramingava poesia 
Garoa e amor era jazz tocando pra gente 

Hoje águas cantantes correm em fio 
Descem contornando o lodo das pedras 
Cantarolando chuá, chuá quebrando o vazio 
Uivam os lobos escorregando nas hedras 
O frio de agosto é grilo cantata silenciosa 
A brisa da manhã cobre o pistilo da flor 
A relva e o rio, o véu é orvalho clamor da rosa 
Deita ao carvalho o dia branco incauto amor... 

Imagino tantas coisas sê-me rio com languidez 
Meu pensamento sem pudor é mel plácido matutino... 
Não caberia num só haikai japonês minh' alma e nudez 
São tantos detalhes num beijo nas nuvens do celestino 
Só nosso sangue sôfrego falando a língua tupi-guarani 
Sabem o encantamento de Jacira o olor do hortelã 
Por ser tão desconhecido o céu agreste agora é aqui 
Ah! doce lua ao progenitor d’ aurora em amor Tupã 

In vitro alquimia vibra e compõem a fibra do amanhã 
A estória se repete e a retórica hoje sempre dura 
O vento trajado à paisana diz poesia é chama e Xamã 
Libertário o feixe dá luz e conceção ao ventre da criatura 
Segura pela cintura seduz o místico torna o sonho afável 
O que será que me quer dizer oculto ama o pronome? 
Me oblíquo numa linguagem do tempo Inexorável 
Memorável o romance permanece e acalento teu nome

Em todo canto todo dia se renasce a cada lua 
A mesma cantiga reina em nossas Vidas 
Minh’ ode em lira despida é poética desnuda na língua tua... 
Assim te amo e ávida a vida diz continuas... 

Son Dos Poemas 
Sônia Gonçalves


O POEMA É UMA FOLHA DA NATUREZA


Imagem- Tutt'ART@ di Maria Laterza



O poema é uma folha da natureza


O poema é uma folha da natureza
Que se incorpora nos lençóis 
D’ alma para dar cor e beleza
Ao dia que está a nascer.

O poema é os olhares vários ao mundo
Num só instante 
E dar-lhes vida como quem tem sede de arte.

O poema são ventos, sóis…
Ao leme do coração
Que navegam ao universo.

O poema é o respirar…
O outono nos pulmões repletos de oxigénio
E contagiar 
A humanidade, no inabalável génio.

O poema é rima, verso,
Metáfora… argilosa folha que se voa pelas almas 
Que sabem ler os segredos do coração.

O poema é o rio de palavras
Que se degusta em silabas
Como um singelo cálice de vocação.

O poema é cultura, arte…
A sensibilidade do poeta
Que dá amor à flor violeta.

O poema é um ser, é um todo
Que nasceu para dar luz ao mundo.

© RÓ MAR


sábado, 13 de agosto de 2016

VOU-TE AMAR...




VOU-TE AMAR...


vou-te amar... 
até que meus dedos me doam 
minhas mãos se evaporem 
e no vento a ti encontre a minha aurora 
meu amor de existir em ti 
e te ver partir mas comigo junto 
no mundo que as letras 
nas brisas dos silêncios 
nos der vir a acontecer... 
tens o sabor de chamar-me 
e eu de em ti sorrir 
chama que me arde 
na palavra silenciada 
no olhar calado 
e na frase inacabada...

vou-te amar...
até que meus braços tombem 
no teu abraço e se apertem 
na ventania encontre e desperte 
tardes da minha folia 
que esta cama não será fria 
se junto contigo na folha em branco 
estarei escutando o teu dizer calado 
no bico da caneta que por teu corpo 
desliza e traça, faz-me sorrir 
tombo na palavra que me arde 
silenciosa, calada 
no olhar que calo e fica silenciado...

vou-te amar...
até que os meus pés tropecem 
no teu poço profundo 
e no vácuo da queda 
em mais em ti me aprofunde 
e acorde teu 
no meu desejo de entrega 
letra que se forma na palavra já criada 
na folha não pintada pela frase não acabada 
no teu corpo sempre velho, 
no teu rosto sempre jovem 
que me chama e em mim arde 
no silêncio da noite acorda 
e eu sorrio e fico calada...

vou-te amar...
até que meu corpo se desfaça 
no encontro do teu padeça 
na mistura de sempre 
que nos chama e incendeia 
nos acalme e detenha no corpo que é nosso, 
folha em branco que te humedeça o meu sentir 
de corpo no pó que me chama transparente 
no tempo e para sempre 
se mantenha no calor do teu ser
que sei que me ama 
e por isso sorrio 
e ao silêncio me confio....

*vou-te amar, eterno sentir...

Ana Carvalhosa

QUERIA-VOS CANTAR E ENCANTAR...


Gold Art - Caras Ionut


Queria-vos cantar e encantar…


Ai se eu soubesse cantar
O que me vai no coração
Talvez viesse a gostar
De um dia algo vos dar
Desta minha grande paixão

Mas não, não sei cantar
Nem a viola dedilhar tão pouco
Não vos posso espantar
Nem sequer vos encantar
Não passo dum pobre louco

Mas bendita esta loucura
Que me faz isto escrever
Haja, pois, desenvoltura
Mesmo que seja noite escura
Para neste mundo sentir prazer

E depois dela aparecer
Vou viver uma ilusão
Para viver é preciso saber
Todos nisso podem crer
Ter pelo canto sua paixão

Armindo Loureiro 

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

ESPERANÇA


Arte: Roman Frances - Tutt'Art


Esperança – II


O teu sorriso inspira-me confiança e esperança 
que também colho no calor dos teus braços 
quando me abraças,
na lealdade do castanho brilhante do teu olhar
e das promessas de amor que me juras ao ouvido.

Esperança num amor eterno
na tua companhia, 
mesmo que estejas ausente

Hamilton Ramos Afonso

E SE O AMOR CHEGAR...




E SE O AMOR CHEGAR...


E se amor chegar que fique à vontade.
...
Que se sente na sombra pé de jasmim...
E contemple o sol e os encantos pássaros do amanhecer
Que não tenha pressa e nem medo de ser... de expressar sua intensa suavidade como o perfume do jasmim 
Se o amor vier deixe que fique onde quiser, deixe que espalhe sua presença por toda a casa e desarrume tudo que estava perfeitamente ordenado, calculado e pronto, para recebê-lo. Deixe que provoque o riso, que seja esquisito, que provoque espanto que te dê pequenas lembranças dos lugares onde passou...
Deixe esse desconhecido entrar em seu mundo e transformar sua rotina segura, abrir as portas dos lugares mais ocultos, levar luz e calor aos cantos húmidos. 
Deixe que ele conte histórias... que não respeite as regras da casa que desfaça as malas e fique. 
Deixe que ele permaneça, que ele te cuide e aqueça, sem perder sua liberdade, sem impor suas vontades, se permitindo viver e criar um novo tempo de compartilhar.

Madalena Lessa

terça-feira, 2 de agosto de 2016

CÂNTICO AO BEM AMADO




Cântico Ao Bem Amado


Cântico para você nobre cavalheiro
Aquele do olhar âmbar enfeitiçador
Do sorriso singular do jeito brejeiro
Meu cântico romântico com gosto de amor
Meu bem amado elegante portento felino
Mais perfumado que as tâmaras da estação
Gracioso sonhador tão homem menino
Semeador de lírios e dentes de leão 
Dos versos latinos de amor e erotismo
Jardineiro dos canteiros férteis e vastos
Tentação doce dos lábios de damascos
Galanteador do eu feminino eufemismo
Amante da rosa em fusão hipotética
Inspiração em cântico e cantiga poética

 Sônia M.Gonçalves
Son Dos Poemas