terça-feira, 16 de agosto de 2016

CANTIGA DA NATUREZA





Cantiga Da Natureza


Sorrio fluente em carne osso te escuto
Meu curso é corrente corredeira... 
Sorrio dentro volátil, etérea sou vulto 
Sou dama do vento, artesã de amor fiandeira 
Um dia no teu peito fiei-me amiúde faceira 
Contornada por teus lábios musicais 
No dia em que meu sorriso cigana feiticeira 
Bebeu nos olhos teus cântaros florais 

Tive em ti minh' fonte inesgotável cardeal 
Encontrei-me em tua nascente e riste 
Em teu sorriso estrelato o blues labial 
Vi tanto amor que a tua luz me consiste 
Existo agora sigo minha própria profecia 
Anunciada instintiva e melodicamente 
N'aurora que choramingava poesia 
Garoa e amor era jazz tocando pra gente 

Hoje águas cantantes correm em fio 
Descem contornando o lodo das pedras 
Cantarolando chuá, chuá quebrando o vazio 
Uivam os lobos escorregando nas hedras 
O frio de agosto é grilo cantata silenciosa 
A brisa da manhã cobre o pistilo da flor 
A relva e o rio, o véu é orvalho clamor da rosa 
Deita ao carvalho o dia branco incauto amor... 

Imagino tantas coisas sê-me rio com languidez 
Meu pensamento sem pudor é mel plácido matutino... 
Não caberia num só haikai japonês minh' alma e nudez 
São tantos detalhes num beijo nas nuvens do celestino 
Só nosso sangue sôfrego falando a língua tupi-guarani 
Sabem o encantamento de Jacira o olor do hortelã 
Por ser tão desconhecido o céu agreste agora é aqui 
Ah! doce lua ao progenitor d’ aurora em amor Tupã 

In vitro alquimia vibra e compõem a fibra do amanhã 
A estória se repete e a retórica hoje sempre dura 
O vento trajado à paisana diz poesia é chama e Xamã 
Libertário o feixe dá luz e conceção ao ventre da criatura 
Segura pela cintura seduz o místico torna o sonho afável 
O que será que me quer dizer oculto ama o pronome? 
Me oblíquo numa linguagem do tempo Inexorável 
Memorável o romance permanece e acalento teu nome

Em todo canto todo dia se renasce a cada lua 
A mesma cantiga reina em nossas Vidas 
Minh’ ode em lira despida é poética desnuda na língua tua... 
Assim te amo e ávida a vida diz continuas... 

Son Dos Poemas 
Sônia Gonçalves