quinta-feira, 28 de julho de 2016

SER POETA HOJE




SER POETA HOJE


Ser Poeta hoje, neste mundo que nos foge
É ofício forte, que paira entre a vida e a morte;
É um acto enérgico, e é um canto que regorge
Sempre indiferente a um destino de má sorte.

Ser Poeta só, no mísero mundo que mete dó
É um acto de alma, com chama que não acalma;
É um ai Jesus, e é um cirandar por entre o pó
Qual folha leve que do Outono leva a calma.

Ser Poeta enfim, que rega flores de carmesim,
É ser coragem, consistente em toda a viagem;
É um ser Orfeu, que toca lira em seu jardim
Música clara que se transmite de mensagem.

É ser que sente, e fala verdade e não mente,
É ser alguém, que sofre como todos também;
E é ser Poema, de uma vida eloquente
Que o faz feliz e mais feliz do que ninguém.

Ser Poeta hoje, é ser oásis num deserto
Com água límpida que corre ao longe e ao perto;
Ser Poeta hoje, é ser ponte entre mim e ti
Com o Universo todo, todo, dentro de si.

Navegar alto, sempre, sempre em sobressalto!

Frassino Machado
In ODISSEIA DA ALMA