domingo, 4 de outubro de 2015

PROSTRADA NO LANCINO DA EXISTÊNCIA


Imagem - Divergent 


PROSTRADA NO LANCINO DA EXISTÊNCIA


Prostrada no lancino da existência
Esperando que haja dia
Contando os seus segredos
Que escapam entre os dedos

Esperando pequenos nadas
Vivendo as mesmíssimas lembranças
Lendo a sina que tem certo destino
De mãos vazias que nem um peregrino

Esperando uma luz em sua alma nova
Que devolva ao seu coração a alegria
E que lhe dê outra vida à prova
Compondo a pele em lágrimas de poesia

Prostrada no lancino da existência
Esperando que haja dia
Contando os seus segredos
Que escapam entre os dedos

® RÓ MAR