quarta-feira, 15 de junho de 2016

A DOR DE POETA





A DOR DE POETA


Não sei poeta porque me mentes
Porque a poesia tu sentes,
A todo o momento e com alguma dor
Mesmo que digam que o poeta é um fingidor

Fingindo na dor ou na poesia,tanto faz,
Poeta argumenta,
Da poesia diz muitas vezes o que não o satisfaz
Mas poeta que se preza, escreve se não rebenta

O poeta escreve com raiva, amor e sofrimento
Escreve, e volta a escrever só assim acalma
O poeta aviva o seu renascimento,
Escrevendo tudo o que dita o coração e a alma,

Poeta não mintas diz o que sentes
Não finjas a tua própria dor,
Eu sei poeta porque tanto mentes,
Não é porque o poeta disse ser um fingidor
Aquela dor que na verdade sentes..!!

Joana R. Rodrigues