domingo, 19 de junho de 2016

ADORO QUANDO ME SURPREENDES...





ADORO QUANDO ME SURPREENDES...


Adoro quando me surpreendes, quando apareces sem hora marcada.

Entras pé ante pé na minha vida, sem bater na porta. Saltas pela janela como se fosses um anjo. Visitas de surpresa os meus dias de solidão, sem dizeres uma palavra. Apenas me lanças um olhar maroto e um beijo doce. Que mais tarde, sabes, me deixarão as marcas da tua saudade a cada segundo em te que afastas e eu fico a olhar-te, sem saber se um dia tu vais voltar.

Adoro quando não me perguntas se te quero. Apenas me amas e me deixas o corpo lambuzado com as gotas da tua paixão. Momentos em que até me parece que estou a sonhar. Em que sinto a tuas mãos a deslizarem sobre mim, os teus beijos que calam todas as palavras que se poderiam soltar para gritar ao mundo o quanto te desejo. Mas que tu sabes com mestria silenciar-me, evitando que o mundo saiba que existe este amor que é só nosso.

Tu sabes com mais ninguém apanhar-me ali ao virar da esquina. Onde, por vezes, se encontram a minha tristeza e o meu medo. Tu sabes afastar todos fantasmas que sobrevoam os meus sonhos, dizendo na hora certa as palavras silenciosas que o meu coração precisa de ouvir.
(...)

Angela Caboz

in "amo-te miúdo tonto"