sexta-feira, 11 de julho de 2014

... ESTRELAS DE POETA!


Imagem - collecting stars by libelle (Elisabeth Zartl)


... ESTRELAS DE POETA!


Passeando a noite ao luar,
Sempre à medida certa,
Brilham quão almas... Estrelas de poeta!

Pelas mãos que têm sempre a medida
Certa a dar e receber a vida
Colhe-se e dá-se à noite
Uma estrela aqui e outra acolá;

Estrelas que passeiam a noite de lua cheia
À estrada da vida, tantos sonhos quanto o luar;
Saltitam de mão-em-mão e voam-se estrelando
O meu olhar e outros tantos de poesia.

Pelos olhos que têm sempre a medida certa
A ver, ler e procriar multiplicam-se estrelas
E a lua brilha sempre mais às janelas
Que são sempre a medida certa!

Quanto basta para a noite ser magia
Em toda a parte, o universo tão azul
Que se gira em torno da nobre fada
Que é minha e de tantos estrela guia.

Quão caminhos de luz são cá e lá!
Mãos que têm sempre vida a amarem
Aqui e acolá;
Olhos que reluzem sempre a par.

E, pela ciranda quero ser
Até ao amanhecer!

Uma estrela ali, outra acolá
E o planeta eleva-se pelo azul
Que têm sempre a medida certa
Aqui ou acolá.

Que é minha melodia e de tantos também,
A que é princesa em tanto mundo
E que é também
Vassala ao luar!

E, pela noite ao luar tantas são
As estrelas que saltitam!

Quantos pedaços de alvo coração
Que têm almas de gente,
Que têm sempre a medida certa!
São mãos amigas, são fadas pela noite;

São sonhos que vivem;
São recortes do céu que flutuam
Pelas almas que têm
Luz. Quanta luz, e, azul!

Passeando a noite ao luar,
Sempre à medida certa,
Brilham quão almas... Estrelas de poeta.

® RÓ MAR